Critérios de certificação


Critérios gerais de qualidade:

Duração mínima A duração mínima de cada um dos cursos (Practitioner, Master Practitioner,  ou Trainer)  é de 130 horas, espalhadas temporalmente por um período mínimo de 5 meses.

Horas de contacto O mínimo de horas de contacto é de 130 horas  (não contando aqui as pausas, o auto estudo, os grupos de trabalho, sessões eventuais de coaching individual ou em grupo, trabalhos de casa, estudo de disciplinas de apoio, etc.).

Tamanho do grupo O mínimo de cursistas por grupo é de 8.

Trainers qualificados Até 10 cursistas temos um Trainer certificado. De 11 a 19 cursistas: um Trainer com um ou dois Assistentes ou Aspirantes para ajudar nos exercícios. A partir de 20 cursistas: 2 Trainers certificados.

Grupos de trabalho Os grupos de trabalho para estudo e exercício das técnicas, entre os blocos de curso, são absolutamente obrigatórios e têm a supervisão do(s) Trainer(s) ou Assistentes ou Aspirantes a Trainer. Os Assistentes ou Aspirantes fazem um relatório destes encontros.

Auto reflexão O cursista reflete e descreve num caderno o seu processo pessoal de desenvolvimento ou é assistido por um coach/mentor que acompanha e avalia o processo pessoal do cursista. O Trainer segue e lidera o processo.

Participação e ausência Para ter direito a ser considerado apto para certificação, para além das condições acima denominadas, o cursista é obrigado a uma participação de um mínimo de 80% de horas de contacto. Só desde que a ausência seja absolutamente provada ter como razão algo que está mesmo para além das possibilidades do cursista, é que o Trainer fará tudo para encontrar uma alternativa para que o cursista possa recuperar, cognitiva e experiencialmente, o que perdeu.

Critérios para o nível practitioner

- Critérios gerais.

- É exigida obrigatoriamente, como mínimo essencial, uma demonstração de grupo perante o Trainer, colegas e eventualmente convidados, sobre um dos módulos obrigatórios do Practitioner.

1. Pressupostos da PNL

a. Conhecimento dos pressupostos (crenças de excelência) em que a PNL se baseia
b. Predisposição para a integração dos pressupostos

2. Quadro geral dos objectivos da PNL

a. Saber definir a situação actual e a situação desejada
b. Procurar e empregar recursos
c. Saber testar e aplicar a ponte para o futuro
d. Conhecimento prático das cinco condições formais para a formulação de objectivos realizáveis
e. Capacidade de emprego do modelo TOTE como sendo o mínimo cibernético essencial para uma intervenção objectiva
f. Conhecimento dos elementos da experiência subjectiva: a relação entre a percepção dos acontecimentos externos, o pensamento, o estado emocional, a fisiologia; (no mínimo o papel das) convicções, e o resultado em forma de comportamento
g. Consciência da hierarquia de valores

3. Técnicas de transformação

a. Pelo menos o reconhecimento de três formas de padrões de reenquadramento
b. Domínio de diversas maneiras de procurar, activar e instalar recursos (pelo menos o”círculo de excelência”, a “neutralização de âncoras negativas” e a “transformação da história pessoal”)

4. Técnicas de percepção

a. Poder aferir reacções não-verbais (calibragem) e assim poder avaliar em que estado interior a pessoa se encontra num determinado momento
b. Distinguir os sistemas de representação: visual, auditivo tonal e digital, cinestésico, gustativo e olfactivo
c. Em estado de transformar as experiências através da transformação das qualidades sensoriais (trabalho com sub modalidades)
d. Reconhecimento de predicados e movimento dos olhos como indicação do sistema de representação em que a pessoa se encontra e do sistema empregue como acesso à informação
e. Observação de congruências e incongruências

5. Reconhecimento de padrões e modelos

a. Em estado de reconhecer estratégias internas, capaz de analisar as etapas de representações internas necessárias numa pessoa para que ela atinja efeitos pessoais positivos e negativos
b. Reconhecimento de estratégias de motivação
c. Conhecimento da estratégia da criatividade
d. Reconhecimento de padrões de aprendizagem
e. Reconhecimento de padrões de escolha (opcional)

6. Comunicação com partes (sub-personalidades)

a. Poder utilizar o reenquadramento em 6 passos, especificamente, a busca da motivação inconsciente atrás do comportamento e a transformação deste comportamento
b. Conhecimento da negociação entre partes, saber utilizar o modelo para a solução de conflitos internos, chegar ao ponto de encontro ao nível dos critérios
c. Trabalhar com metáforas, o domínio do emprego como padrão dentro dum quadro organizativo de transformação

7. A organização do tempo

a. A investigação da linha do tempo pessoal
b. Saber empregar a visualização do passado, presente e futuro, como quadro geral para uma intervenção

8. Múltiplas percepções

a. Em estado de vivenciar associação e dissociação, reviver experiências e dominar a técnica da distanciação
b. Poder mudar de posição perceptiva
c. Conhecimento pleno e mudança de posição perceptiva através dos níveis lógicos de comunicação

9. Competências básicas

a. Rapport, possuir a capacidade de calibrar, sincronizar e conduzir, empregando para isso diversos canais como: valores, escolha de palavras, postura, gestos, respiração, etc.
b. Reconhecer, utilizar, e lidar com matchen e mismatchen
c. Acompanhar e conduzir (Pacing e leading)

10. Padrões linguísticos

a. Conhecimento e emprego do Modelo Meta da linguagem
b. Emprego do Modelo Milton da linguagem relatado aos pressupostos da PNL
c. Utilização do reenquadramento de conteúdo, do reenquadramento de contexto e do reenquadramento de significado
d. Domínio do Chunking up, chunking douwn e do chunking lateral (estar em estado de efectuar uma procura transderivacional)

11. Formas de testar

a. Domínio das técnicas: não só poder explicá-las como utilizá-las com flexibilidade em situações um-a-um
b. Maneira de trabalhar ecológica e demonstração de ecologia no comportamento com total respeito pelos princípios básicos da PNL (o respeito pela pessoa)

fee420c642512fbc2b075351f8a80d05

Critérios para o nível master practitioner

- Critério de admissão para o Master:
Na posse dum certificado de Practitioner passado por uma organização considerada, nacional ou internacional

- Condições gerais.

- Teste sobre o domínio de controlo intelectual e prático da matéria do Masterpractitioner:
Demonstração do domínio do material do Practitioner
Domínio do material do Master practitioner
Demonstração de flexibilidade e inventividade no emprego da PNL
Competência em intervenções um a um
Competência em intervenções em grupo
Projecto e relatório de modelagem

1. Meta programas

Calibragem, investigação, aplicação, transformação e flexibilidade.
Os 4 meta-programas básicos: “introvert/extravert; sensor/intuitor; feeler/thinker; judger/perceiver”.
Meta programas derivados destes ou adicionados: aproximação/afastamento; quadro de referência interno/externo; possibilidade/necessidade; global/específico; semelhança/diferença; orientação no tempo; opções/procedimentos; direccionado a si/outros; pró-activo/reactivo; filtro de interesse primário; espécie de representação da convicção, e quadro temporal.

2. Valores (critérios)

Perguntar, calibrar, clarificar, empregar e transformar.
Valores de aproximação e valores de afastamento, valores instrumentais e valores superiores; hierarquia de valores, sistemática de valores.

3. Convicções

Descoberta, instalação, emprego, aperfeiçoamento e transformação.
Percentagem de certeza e auto-afirmação.
Convicções essenciais, sistemas de convicções.

4. Estratégias (aprofundamento)

Clarificar, torná-las mais elegantes, encontrar alternativas e instalação.
Totes embutidos.
Emoções: estrutura, relações e controle de gestaltes.

5. Sub modalidades (aprofundamento)

Investigar, reconhecer padrões e transformação.
Sub modalidades temporais e espaciais, padrões de limiar, estoirar compulsões, três dimensões (primeiro e segundo plano).

6. Padrões da linha do tempo (aprofundamento)

Descoberta, produção, emprego e modificação.
Transformação de emoções, transformação da linha do tempo.
Múltiplas linhas do tempo, re-imprint, instalação do futuro.

7. Padrões linguísticos (aprofundamento)

Padrões SOM, padrões de tonalidade, ancoragem de comandos (embutidos), transformação encoberta de sub-modalidades, técnicas linguísticas indutivas e dedutivas.

8. Trabalho com Milton (aprofundamento)

Métodos indutivos, interrupção de padrões, sobrecarregar, confusão.
Metáforas embutidas (cruzadas).

9. Modelagem

Investigação, explicação, réplica, transferência e emprego.
Selecção do modelo, dissecação, delimitação, redução da informação e síntese.
Modelagem Inside e outside, análise de contrastes.
Criação dum (novo)modelo, transferência, instalação, emprego e teste.

10. Padrões e técnicas (desenvolvimento)

Mínimo: Cadeia de âncoras, marcação contextual, níveis lógicos, estrutura e alinhamento, decision destroyer.

11. Competências básicas de apresentação

Plano duma apresentação, rapport com o grupo, categorias de Satir, congruência e feedback.

Critérios para o nível Trainer

Para se poder intitular Trainer terá que obedecer aos seguintes critérios :

A: Diplomas obrigatórios

1. Um diploma de “Practitioner PNL”
2. Um diploma de “Master practitiner”
3. Um diploma de “Trainer”

B: Qualidades exigidas

- Aceita os pressupostos da PNL
– É especialista em lidar com conflitos, suporta stress e é congruente
– Possui um conhecimento básico das disciplinas: psicologia, sociologia e filosofia
– Compreende e domina o material do Practitioner e do Master practitioner
– Tem as competências necessárias para demonstrar as técnicas do Practitioner e do Master
– Tem as competências necessárias para transmitir o material do Practitioner e do Master, assim como das suas técnicas
– Tem as competências metódicas necessárias para intervir em situações um-a-um e com grupos

C: Experiência exigida

Para poder certificar  Practitioners:

Para poder certificar de forma autónoma um curso de PNL é necessário que o Trainer tenha tido pelo menos cinco anos de experiência com PNL contados a partir do Practitioner. Para o poder fazer antes disso é necessário que tenha um passado profissional em formação ou no ensino.

Ter funcionado pelo menos 2 vezes como “Trainer Aspirante” num curso de Practitioner dado por um Trainer reconhecido; Ter funcionado como Trainer Aspirante num Master Practitioner; Só poderá passar finalmente um certificado em seu nome após ter executado, sob a supervisão de um Trainer,  um Practitioner completo.

Para poder certificar Master Practitioners:

Precisa ter funcionado, pelo menos 2 vezes, como “Trainer Aspirante” num curso de Practitioner dado por um Trainer reconhecido; Ter funcionado, pelo menos duas vezes, como Trainer Aspirante num curso para Master Practitioner dado por um Trainer reconhecido; Ter ministrado de forma autónoma pelo menos um Practitioner completo sob a sua inteira responsabilidade. Só poderá passar finalmente um certificado em seu nome após ter executado, sob a supervisão de um Trainer,  um Master Practitioner completo.

Assistentes e Trainers Aspirantes

- O “Assistente” ajuda o Trainer durante o curso. O nível a que um Assistente deve obedecer é, pelo menos, uma certificação num grau acima do nível que está a ser administrado.

- O Aspirante a Trainer é um cursista que está seguindo ou terminou um curso para Trainers e que tem sob a sua responsabilidade, um ou outro módulo do treino (regra 80%/20%), sob supervisão. “Trainer Aspirante” significa que o aspirante a Trainer age regularmente como co-trainer e que, totalmente sob a responsabilidade, preenche uma ou mais partes do dia do programa sob a supervisão do Trainer; faz diversas vezes a abertura e o fecho do dia, acompanha subgrupos, coordena sessões noturnas de exercícios estando presente e dando feedback aos cursistas.  Tem direito, no final do curso, a uma declaração ou certificado;

Uma regra geral é esta: até 10 cursistas temos um Trainer certificado. De 11 a 19 cursistas: um Trainer com um ou dois Assistentes ou Aspirantes para ajudar nos exercícios. A partir de 20 cursistas: 2 Trainers certificados.

Logo Guilda novo 4Os certificados oficiais de Practitioner, Master Practitioner e Trainer passados por Trainers ligados a esta Associação e que cumprem as normas de certificação podem ser providos de um selo com o logo oficial da Associação

O selo com o logo significa

Qualidade, Integridade, Honestidade